quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Diálogo com a parede

Tenho mudas palavras e todas prefiguram um estado.
Queria ser o outro que nunca me leu e continua sendo...
Vocábulos serão sempre vocábulos e o lá fora estará sempre lá fora.
Com os cinco sentidos presos em verbos dissonantes.
Porque escrevo?
Queria estar longe...Não ser só e ser poeta.
Como mudar o corte da faca.
Não quero sempre ter certeza, essa certeza de estar me incomoda.
Preciso da ameaça de me sentir.
Preciso da descrença, preciso de fisionomia, preciso não estar.
Receber o toque malandro da vida não impressa.
A vida que se esquece, e por se esquecer, se renova, preciso do perigo.
Preciso de versos que indiquem movimento.
Preciso do suor,não de autores, quero minha caixa repartida de vida.
Vida menor, vida grande, vida preta, vida clara, vidas.
Chega de barroco, chega de mãos enluvadas de metáforas.
Não quero figuras de linguagem entrecortadas de suspiros.
Não quero aplausos sem pele.
Ser o comum aqui dentro, como aquele homem parado no poste a esperar...
É a espera! tenho na espera muitos desejos de mim.

49 comentários:

  1. Muito intenso e lindo Rodrigo.
    Acho que todos temos essa espera.
    Mas saber expor é dádiva.
    Parabéns.

    Beijo.
    Fernanda.

    ResponderExcluir
  2. Belos versos:
    "É a espera! tenho na espera muitos desejos de mim."
    Consigo ver seu texto no palco, sendo não lido,mas
    in ter pre ta do,
    considerando bem todas as pontuações
    e inter calando
    as res pirações.
    Ser poeta não somente escrever, pois escrever
    qualquer um escreve.
    Ser poeta é des cre ver
    o sen ti men to
    que vai n'alma na hora da con cep ção.
    Adorei seu texto ,porque se ha algo
    que me arrebata
    é poesia.
    Ainda que minha formação permita
    Nunca serei uma tecnica pra
    analisar,
    serei sempre apoeta
    que se deixa pela palavra levar.
    Bjins entre sonhos e delírio

    ResponderExcluir
  3. "Queria ser o outro que nunca me leu e continua sendo..." É isto.

    ResponderExcluir
  4. Oi , Rodrigo !!!
    Também me embolei um cado aqui nas suas letras , viu ?
    Tão embolada que Te SIGO daqui por diante ...
    BjO !

    PS: vai ser um prazer ter você me seguindo ,
    isso é um convite mesmo , ... :)

    ResponderExcluir
  5. "tempo de cinco sentido em um só."

    gostei do texto e do blog!

    =]

    ResponderExcluir
  6. Olá Rafael!Se tu soubestes como me deixa feliz ouvir que alguém gostou do meu cantinho...hihihi!Ah,suas palavras são belíssimas viu? x*

    ResponderExcluir
  7. Rodrigo, também gostei do que li aqui. Como achou meu blog?
    Ela está com a cara do livro, o blog virou um livro, por isso os textos não estão mais lá, agora estão no livro...dois do lançamento coloquei alguns textos lá de volta.

    Abraço e obrigada pela visita.

    ResponderExcluir
  8. Ei...Nardaci é Jo Rodrigues do Amadorismo...

    ResponderExcluir
  9. Ow,Me perdoe,por favor!É que eu tenho um grande amigo que foi morar na Suiça que é Rafael Passos,aí já viu né!Perdão,perdão,perdão,perdão,perdão,perdão!

    ResponderExcluir
  10. Incrivel como você nos descreve, Rodrigo!

    Eu me encaixo totalmente nas suas palavras.

    Beijo meu!

    ResponderExcluir
  11. realize-os!
    o momento pra isso chama-se agora.


    bjs meus

    ResponderExcluir
  12. Bela poesia, Rodrigo!Percebe-se que você escreve com a alma e o coração.

    ResponderExcluir
  13. 'Preciso da ameaça de me sentir.'
    Adorei passar por aqui e encontrar tanta sinceridade!

    ResponderExcluir
  14. Com certeza, serei leitora assídua aqui. Gostei da batida, do ritmo, da essência ou busca dela, constante. Gostei da simplicidade no usa das palavras, na eloquência ao escrever, uma intensidade elaborada e não palavras jogadas livres em desabafo apenas. Tanto sentido...

    ResponderExcluir
  15. Ah! Eu também tenho tantas esperas...

    ResponderExcluir
  16. "Preciso de perigo"
    senão não vale a pena lutar....
    A vida num filme que aguarda
    melhores horas para rir, para chorar
    Escondemos as lágrimas, rimos, pensamos estar lá...
    Mas na verdade estamos, somos nós que passamos na vida, enquanto vemos filmes,
    enquanto os filmes tentam nos comover
    ao nos imitar...

    Obrigada pela visita, volte sempre!
    Grande beijo

    ResponderExcluir
  17. Não sou fã desses textos mas tenho de admitir que conseguiu me prender a ler até ao fim!

    ResponderExcluir
  18. Rodrigo,

    Cá estou a parabenizá-lo por versos que expoem tua palavra subversiva.

    Guri, és de Paraty! Que cidade encandatora. Respirei poesia tupiniquim e histórica quando fui aí, no início do ano. Gostei da sebo do Daniel, conhece?

    Beijos,
    fico a te seguir. gostei muito do que aqui encontrei,

    ResponderExcluir
  19. É na incerteza, na busca constante, e no desejo contínuo de preenchimento, de nunca sentir-se repleto que vamos nos descobrindo, nos encontrando e nos perdendo.
    Que belo poema! Palavras que se olhadas a fundo tem muito mais do que se vê.
    Parabéns pelo blog.
    Muito obrigada pela visita.

    Seguindo.
    Se puder...
    http://emsimplespalavras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Adooooooorei a visitinha lá no meu blog *-*. parabéns pelo seu. Ah, amei teu perfil. Vc é mt bom. Beijos :*

    ResponderExcluir
  21. Olá, meu caro! Passando por aqui para visitar seu blog e agradecer à participação no meu. Continuemos a versejar!
    Grande abraço,

    ResponderExcluir
  22. Acério, escreves muito bem.
    E obrigada pelo comentário.
    Escrever não é o meu forte mas eu sinto-me bem quando o faço, e uma forma de tentar exprimir o que sinto, tal como faço com a música.
    Acho que deves continuar a faze-lo.
    Obrigada e beijinhos :)

    ResponderExcluir
  23. Acho que definimos nós mesmo pelo que vemos no outro...esse outro que as vezes se materializa num ser a parte, e as vezes num outro que é parte de nós, um espelho interno...
    A sua poesia é um auto-retrato através da sua visão desse outro,e não é fácil este verso quando o outro somos nós...
    Parabéns, linda e forte a sua poesia, lindo blog. Já o sigo...

    ResponderExcluir
  24. .

    Como você comentou:

    "Quem não admira o belo, não vive."

    Concordo!

    Achei tudo belo por aqui. Te sigo!

    .
    .

    ResponderExcluir
  25. Você escreve como gosto e como me toca. "Diálogo com a parede" é fantástico!

    ResponderExcluir
  26. obrigada, tu tmb escreves bem tens geito po texto poetico

    ResponderExcluir
  27. Oi Rodrigo! Prazer conhecê-lo e a teu poema lindamente inquieto. Identifiquei-me. Obrigada pela presença em meu blog e por seu comentário que só faz incentivar essa minh'alma que só quer continuar... Abraço!

    ResponderExcluir
  28. identificaçao a primeira leitura..q que modo de escrever o sentir...especial demais para mim te ler....

    ResponderExcluir
  29. Querer é sentir cada palavra na alma do poeta.

    Tua literatura é bela e consigo me deleitar na partilha de cada uma dela.

    obrigada por tua presença e seja bem vindo sempre

    ResponderExcluir
  30. Lindo seu texto, utilizou mt bem as palavras.
    :*

    ResponderExcluir
  31. saber esperar é uma dádiva.
    mas fazer acontecer é um ímpeto.

    bjs meus

    ResponderExcluir
  32. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  33. Belas palavras. Todo ser carrega em si o ingrediente de se fazer compreensível aos outros, a questão é que nem todos sabem usá-lo.

    Você parece ser exceção.

    Sucesso.

    Obrigada pela visita, sinta sempre bem-vindo ao meu espaço.

    Pérolanegra

    ResponderExcluir
  34. Seu bog tambem é otimo! Vou te seguir...

    Vc sera senpre bem vindo no meu blog!

    valeu pela visita

    ResponderExcluir
  35. Quem não tem suas esperas não é mesmo?

    Voltando a minha casa, aos meus amigos, vim te agradecer pela sua visita, obrigado.
    Espero te ver muitas e muitas vezes Pelos Caminhos da Vida.

    Um ótimo dia pra vc.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  36. Gostei muito, muito. Estamos sempre a querer, não? =*

    ResponderExcluir
  37. Olá...

    não tinha nada de demais, postado no que removi...rs Então és curioso também? rsrs

    Beijos

    ResponderExcluir
  38. "Eu sou aquela mulher que fez a escalada
    da montanha da vida removendo pedras e
    plantando flores"

    (Cora Coralina)

    Lindo amanhecer! Beijos....M@ria

    ResponderExcluir
  39. Nem sempre, mas às vezes, é só ficar bem quieto e esperar. A vida vem.

    ResponderExcluir
  40. Rô, que lindos versos!!!

    Então prefere pele ao aplauso...

    Eu também.


    Ah, e com beijo molhado...

    ResponderExcluir
  41. Tu quer comer todos os pratos que a vida te oferecer, é isso?
    Eu também.

    Agradeço a visita e o comentário bonito.

    ResponderExcluir
  42. Pelo que vejo aqui, as paredes tem ouvido.

    Parabéns pelo poema.

    ResponderExcluir